Vale a pena comprar jogos usados de PS4?

Por Arthur Alves em 15 de setembro de 2017
DSC01520

No Brasil, infelizmente as coisas acabam ficando mais caras por conta de impostos, então uma alternativa boa para o consumidor é adquirir produtos usados. Com os consoles não é diferente, no vídeo a baixo falamos das vantagens e desvantagens de obter um Playstation 4 usado e é claro alguns pontos a se considerar, mas por hora vamos falar de games usados. Segue o link do canal para mais informações: http://goo.gl/Jsp5DV

 

O PS4 e o Xbox One são os consoles que mais participam desse ciclo de jogos usados. Por quê? Por alguns motivos: a noção de jogos usados ​​já desapareceu do mercado de jogos para PC; Os jogos vendidos em caixas nas prateleiras da loja geralmente incluem uma chave de ativação de uso único que bloqueia o jogo para um único proprietário. Alguns até chegam a exigir que o proprietário esteja constantemente conectado à Internet para executar o game. No caso de consoles, alguns jogos exigem que um proprietário de segunda mão compre um acesso antes que eles possam usar as funções multiplayer do jogo; alguns bloqueiam o conteúdo de um jogador e tem os que possuem assinatura mensal. Vale lembrar ainda que existem as DLCs que são ligadas a conta do dono e não vão inclusas na mídia.

Os jogos usados ​​são mal vistos para certos desenvolvedores de jogos. Alguns deles têm certeza de que são o único motivo para a queda do setor de vendas de games para console (além das técnicas de desbloqueio e pirataria) eles acreditam que os jogos venderiam muito mais cópias, se fossem atrelados a um comprador. Atualmente o mercado de locadoras de games ainda sobrevive por conta disso. Então podemos concluir que por enquanto ainda é uma opção viável adquirir games usados ou mesmo tentar sua locação.

Comente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>